O que esperar do Brasil no Mundial de Handebol Masculino 2023?

Por Anna Julia Sbardelott em 10/01/2023 às 10:10:19
Em preparação na Noruega, o goleiro Ferrugem contou sobre às expectativas sobre o Mundial. (Foto: GR PhotoSport/Instagram)

Em preparação na Noruega, o goleiro Ferrugem contou sobre às expectativas sobre o Mundial. (Foto: GR PhotoSport/Instagram)

O ano era 2019. A Seleção Brasileira de Handebol Masculino participava de seu 14º mundial, sediado na Alemanha e na Dinamarca. Após um desempenho além do esperado na fase de grupos, com vitórias sobre a Sérvia, Rússia, Coreia, e um duelo eletrizante contra a França, o Brasil teve a chance de se qualificar entre as 12 melhores seleções do mundo. Com duas vitórias e uma derrota, a classificação histórica veio: o nono lugar. Em ano pré-olímpico, estávamos entre as 10 maiores.

A história não se repetiu em 2021. Na verdade, ela foi até mais cruel. Devido a pandemia de Covid-19, muitos atletas ficaram de fora do Mundial sediado no Egito. O Brasil perdeu jogadores fundamentais, como o goleiro Ferrugem, que aceitou conversar com a reportagem do Surto Olímpico às vésperas do Mundial em 2023.

"Depois do Mundial de 2019, que nós fizemos uma boa participação e fomos nono colocados. No último Mundial, infelizmente o Covid tirou muito atletas da seleção e eu fui um deles, mas agora com as coisas mais controladas a expectativa é sempre alta e também a gente pode projetar algumas coisas maiores para o grupo."

Em relação ao grupo C, chave do Brasil , o goleiro considera que a seleção tem chances de fazer um bom papel. Mesmo com a Suécia sendo a grande favorita, a possibilidade de arrancar um ponto pode ser fundamental para uma equipe que pode surpreender.

"Em teoria, temos jogos ganháveis contra Cabo Verde e Uruguai. Dentre os dois, acho que Cabo Verde é o com a maior qualidade técnica. Muitos jogadores atuam nas ligas europeias e isso dá mais experiência ao time deles. Mas ainda acho que a gente tem um bom grupo, jogadores e podemos sim sair com a vitória. Não vai ser um jogo fácil como todos acham."

Em dezembro, Haniel Langaro, jogador fundamental do Barcelona e da seleção brasileira, acabou se lesionando em uma partida válida pela Liga dos Campeões. Perguntado sobre como o grupo lidou com a ausência dele, Ferrugem disse que o grupo sabe da importância dele e que vai fazer muita falta. "Nós temos jogadores importantes que fazem a função que ele faz, já estão treinando bem e estão suprindo essa ausência."

Em relação às expectativas do grupo, o goleiro cita vencer o Uruguai e Cabo Verde e chegar ao Main Round, rodada seguinte a de grupos. Fazer "dois pontos ou mais, se possível" para que o cruzamento seja entre Portugal, Islândia e Hungria, um grupo tecnicamente difícil, mas com a equipe "jogando bem, fazendo as coisas direito, tendo a obediência tática e cumprindo com o que foi combinado", o Brasil pode avançar até às quartas de final e estar entre os 8.

"A gente sabe da dificuldade e vamos ter que nos doar 1000% pra que isso aconteça. E a gente tá bem disposto a isso."


GRUPO C

12/01

14h - Cabo Verde x Uruguai

16h30- Suécia x Brasil

14/01

14h - Brasil x Uruguai

16h30 - Suécia x Cabo Verd

16/01

14h - Brasil x Cabo Verde

16h30 - Uruguai x Suécia

Sem transmissão, os resultados podem ser acompanhados no site da IHF.

Fonte: Surto Olímpico

Comunicar erro

Comentários

Ks materiais