A bordo de um voo de duas horas de Seattle a San Jose, na Califórnia, uma professora bisbilhotou a conversa do passageiro que sentava ao seu lado. Acabou por descobrir e denunciar à polícia um plano do homem de molestar duas crianças. Ele se juntaria à babá dos pequenos assim que pousasse no destino. A mulher, que não foi nomeada, alertou os comissários de bordo, que acionaram os policiais.

As autoridades identificaram duas crianças, de 5 e 7 anos, como vítimas em potencial do homem e da mulher, que foram presos. O aviso da passageira, segundo o chefe da investigação, evitou que o abuso ocorresse e se perpetuasse.

“É inacreditável. Ela entra no avião, uma cidadã normal. Duas horas depois, ela interveio na mais traumática experiência que as crianças podem passar. Mudou a vida delas”, frisou o delegado para crimes sexuais Nick Jourdenais ao “Mercury News”.

De acordo com os policiais, Michael Kellar, de 56 anos, possuía um celular de tela grande, cujas letras eram legíveis à passageira que sentou ao seu lado. Ela viu umas primeiras palavras e, ao perceber o tema da conversa, focou em entender as mensagens e até registrá-las em fotos. A babá Gail Burnworth, de 50 anos, também foi detida.

Na conversa, Kellar pedia a Gail para ter relações sexuais com as crianças. Logo após o pouso, agentes da Polícia de San José e do FBI, a polícia federal americana, levaram o homem para depor. O acusado argumentou que era apenas uma brincadeira, uma fantasia sexual, e deixou os agentes olharem seu celular.

Kellar vai responder por tentativa de moléstia de crianças e solicitação de crime sexual, de acordo com as leis vigentes na Califórnia. Já Gail foi acusada de exploração sexual de menor e de negociação de conduta explícita sexual com menores envolvidos.

Ontem, no Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here