Pautada pela inovação, resiliência e superação, a Klabin está celebrando 120 anos. A empresa brasileira possui uma trajetória de sucesso, iniciada ainda no século 19 e que tem como novo capítulo o recente anúncio de um ciclo de expansão, que contará com o maior investimento da história da empresa, R$ 9,1 bilhões para a construção de duas máquinas de papel para embalagens em Ortigueira (PR), que aliará tecnologia de ponta a uma experiência centenária. Ao longo das últimas décadas, a companhia tem demonstrado sua capacidade de crescimento e transformação, premissas que tornaram a Klabin a maior produtora e exportadora de papéis para embalagens do Brasil, líder nos segmentos de embalagens de papelão ondulado e sacos industriais e única companhia do País a oferecer ao mercado uma solução em celuloses de fibra curta, fibra longa e fluff.

A história da empresa, que teve início em 1899, após a chegada de seus fundadores e controladores – Klabin Irmãos e Companhia – ao Brasil, conta com importantes marcos, como a aquisição, em 1934, da Fazenda Monte Alegre, no Paraná, onde foi construída a primeira fábrica integrada de papel e celulose do Brasil. Em 1947, o mercado interno de papel imprensa passou a ser atendido, pela primeira vez, por uma empresa nacional, a Klabin.

PUBLICIDADE_____________________________________________________________

Nas décadas de 1950 e 1970, a companhia iniciou um ciclo de expansão, com a instalação de unidades fabris nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Em 1998, a empresa foi a primeira do setor de papel e celulose das Américas a ter suas florestas certificadas pelo FSC® – Forest Stewardship Council® FSC-C022516.

Já no início do século 21, a companhia direcionou seus esforços para o segmento de papéis para embalagens e ampliou significativamente a capacidade de produção de papéis da Unidade Monte Alegre, em Telêmaco Borba (PR). Em 2016, a companhia inaugurou uma das mais modernas fábricas de celulose do mundo, a Unidade Puma, em Ortigueira (PR). E em 2017, a companhia construiu um moderno Centro de Tecnologia para fortalecer as suas frentes de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação.

Você sabia?
– Na década de 1950, na outra margem do Rio Tibagi, em frente à fábrica das Indústrias Klabin de Celulose (IKPC), nasceu a “Cidade Nova”, hoje município de Telêmaco Borba (PR). Para atrair a atenção e promover a ocupação da cidade, personalidades de Hollywood foram convidadas a visitar o local. Entre elas, Walter Pidgeon (estrela do filme Viagem ao Fundo do Mar) e o escritor norte-americano John dos Passos (autor de “O Brasil em Movimento”).- Frans Krajcberg, o mundialmente conhecido artista plástico polonês, trabalhou como engenheiro nas Indústrias Klabin do Paraná de Celulose(IKPC), entre os anos 1952 e 1955. Recomendado por Lasar Segall, ele viveu nas florestas da Klabin, que serviu de inspiração para suas obras de arte no período.

– Horácio Klabin, corintiano apaixonado, e que administrou a IKPC, incentivou a criação de um time de futebol local ao chegar em Monte Alegre, na década de 1940. O Klabin Esporte Clube logo virou Clube Atlético Monte Alegre (CAMA). Para inauguração do estádio de futebol do time, Horácio Klabin promoveu uma partida entre o CAMA e seu time do coração, o Corinthians, em 10 de abril de 1949.

Klabin no Paraná
O Estado do Paraná sempre teve um papel estratégico na história da Klabin, que passou a produzir papel em grande escala no Brasil com a inauguração da Unidade Monte Alegre, em 1946. Situada no município de Telêmaco Borba, a fábrica é responsável por produzir, atualmente, cerca de 1 milhão de toneladas de papéis para embalagens. Outro marco na região foi a inauguração, em 2016, de uma das mais modernas fábricas de celulose do mundo, a Unidade Puma, em Ortigueira. O município lidera o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná, com um salto de R$ 247,6 milhões para R$ 1,2 bilhão, alta de mais de 390% nos últimos anos, segundo levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes – 2018). A Klabin mantém ainda, no Paraná, uma unidade na cidade de Rio Negro, responsável por parte da produção de embalagens de papelão ondulado da companhia no país. Ao todo, são mais de 10 mil empregos (diretos e indiretos) gerados no Estado, principalmente, na região dos Campos Gerais.O Paraná abriga a maior base florestal da Klabin, formada por mais de 340 mil hectares de área florestal, sendo 142 mil hectares de mata nativa preservada. O cultivo de pínus e eucaliptos no Estado teve início ainda na década de 1950 e hoje, na região, temos uma das melhores produtividades florestais do mundo.  Sempre buscando a eficiência máxima de seus projetos, desde 2017, Telêmaco Borba passou a abrigar o Centro de Tecnologia da companhia, que tem se dedicado à pesquisa de uma gama diversa de produtos de base florestal e à realização de simulações das linhas de produção das fábricas, antecipando tendências para criar tecnologias e aplicações cada vez mais sustentáveis.

Em meio às comemorações dos 120 anos da empresa, a Klabin reafirmou seu compromisso com o Brasil e com o Paraná ao aprovar a expansão de capacidade no segmento de papéis para embalagens. Com aporte da ordem de 9,1 bilhões de reais, o Projeto Puma II compreende a construção de duas máquinas de papel para embalagens (kraftliner), com produção de celulose integrada, que serão instaladas na unidade industrial da companhia no município de Ortigueira. Esse é o maior investimento privado do Estado do Paraná e um marco na história da Klabin.

Pautada pela sua Plataforma de Investimento Social Privado, a Klabin mantém uma série de iniciativas nas localidades onde atua, visando gerar impacto positivo e promover o relacionamento com as comunidades vizinhas as suas operações. As ações priorizam quatro linhas de atuação: educação, desenvolvimento local, educação ambiental e desenvolvimento cultural. No Paraná, a companhia mantém diversos projetos socioambientais, entre eles, o Semeando Educação, que tem como objetivo contribuir para a melhoria da gestão dos recursos públicos destinados à educação. O programa oferece consultoria a profissionais da educação, compartilhando métodos, boas práticas e ferramentas para a melhoria de indicadores de gestão escolar.

As metas são estabelecidas a partir dos resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de anos anteriores. Com isso, cada escola estrutura discussões com diferentes atores da comunidade escolar (professores, funcionários, alunos e pais), analisando causas e propondo soluções organizadas dentro de um Plano de Ação. Desde a criação, o Semeando Educação já beneficiou mais de 30 unidades de ensino, impactando aproximadamente 11 mil alunos da rede estadual.

Outra importante iniciativa é o “Matas Sociais – Planejando Propriedades Sustentáveis”, de incentivo à agricultura familiar. O projeto auxilia pequenos produtores rurais em todas as etapas de produção hortifrutigranjeira, desde a obtenção do Cadastro Ambiental Rural (CAR), diversificação da propriedade, incentivo ao associativismo/cooperativismo, tendo como objetivo a comercialização da produção orgânica para a comunidade da região.

A história de superação, visão de futuro e inovação, atributos que pautam os negócios da companhia desde a sua inauguração até os dias atuais, consolida a atuação da Klabin nos mercados interno e externo. Hoje, a empresa possui 18 unidades industriais, sendo 17 no Brasil e uma na Argentina, conta com aproximadamente 19 mil colaboradores diretos e indiretos, tem capacidade de produção anual de 3,5 milhões de toneladas de papel e celulose, e exporta seus produtos para mais de 70 países.

De olho nos próximos anos e ciente de que os produtos derivados de florestas plantadas são protagonistas de um futuro sustentável e mais eficiente, a empresa lançou o seu novo posicionamento: “Transformar o futuro é a nossa matéria-prima”. O conceito é inspirado em seu poder transformador e no compromisso com a geração de valor compartilhado, com o objetivo de contribuir para a construção de um futuro melhor.

Sobre a Klabin
A Klabin é a maior produtora e exportadora de papéis para embalagens do Brasil, líder nos mercados de embalagens de papelão ondulado e sacos industriais e única companhia do país a oferecer ao mercado uma solução em celuloses de fibra curta, fibra longa e fluff. Fundada em 1899, possui 17 unidades industriais no Brasil e uma na Argentina. Somente no Paraná, gera mais de 10 mil empregos (diretos e indiretos), em mais de 25 municípios próximos das operações da companhia, principalmente, na região dos Campos Gerais.

A empresa é pioneira na adoção do manejo florestal em forma de mosaico, que consiste na formação de florestas plantadas entremeadas a matas nativas preservadas, formando corredores ecológicos que auxiliam na manutenção da biodiversidade. A área florestal da companhia no Paraná compreende o total de 342 mil hectares, sendo 142 mil de mata nativa. A Klabin também mantém um Parque Ecológico, na Fazenda Monte Alegre, em Telêmaco Borba, para fins de pesquisa e conservação, atuando no acolhimento e reabilitação de animais silvestres vítimas de acidentes ou maus-tratos, auxiliando o trabalho de órgãos ambientais. Além de contribuir para a preservação da flora e fauna da região, inclusive de espécies ameaçadas de extinção.

Toda a gestão da empresa está orientada para o Desenvolvimento Sustentável. Na região dos Campos Gerais a Klabin desenvolve boa parte dos seus programas socioambientais, com destaque para “Matas Sociais – Planejando Propriedades Sustentáveis”, Matas Legais, Projeto de Resíduos Sólidos, Crescer Lendo, Programa Caiubi, Força Verde Mirim e Protetores Ambientais.

A companhia também aderiu aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, é signatária do Pacto Global e do Pacto Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo, e busca fornecedores e parceiros que sigam os mesmos valores de ética, transparência e respeito aos princípios de sustentabilidade.

loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here