Após ter sido considerado morto pela equipe médica do Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Galileia, na Zona Norte de Manaus, no Amazonas, na última terça-feira, o gari Ronaldo Martins de Souza, de 63 anos, “ressuscitou”, surpreendendo todos que estavam próximos. Minutos antes, Ronaldo havia sofrido uma parada cardiorrespiratória.

Uma das três filhas do gari, a assistente administrativa Rose Cleide Mendonça, de 36 anos, já tinha, junto com o marido, iniciado toda a parte burocrática para o enterro do corpo e a compra do caixão. Ela conta que, quando recebeu a notícia de que Ronaldo não havia morrido, não conteve a emoção:

– Foi algo inexplicável. Pouco antes eu tinha me despedido dele. Peguei na mão do meu pai e fiz uma oração para ele ir em paz. Muita alegria dele ter retornado. Foi um milagre!

Segundo Rose, apesar de Ronaldo estar vivo, o quadro dele ainda é grave. Ela informa que o pai está em coma induzido e foi transferido, nesta quarta-feira, para o Hospital João Lúcio, na Zona Leste de Manaus. O idoso está com pneumonia e com edema cerebral e será mantido em coma por cinco dias.

De acordo com Rose, na terça-feira seu pai teve um infarto e foi encaminhado ao hospital. Ela chegou 15 minutos depois de saber o que tinha acontecido. Suas duas irmãs já estavam na unidade com Ronaldo.

– Logo quando eu cheguei a médica saiu da sala e disse que ele estava morto. Que já havia chegado em óbito. Ela disse ainda que a equipe tentou reanimar ele por uma hora, mas que já era tarde. A doutora orientou que a gente seguisse para o necrotério e fomos aguardar o corpo. Foi uma comoção – lembra a assistente administrativa.

Depois da notícia da morte, Rose seguiu para a casa de sua mãe, que tem 66 anos e não sabia ainda do ocorrido.

– Não podia falar pelo telefone porque minha mãe é hipertensa. Mas no caminho, a minha outra irmã me ligou dizendo que a médica disse que ele tinha voltado. Foi uma mistura de sensações que nem sei explicar. Agora é esperar meu pai sair do coma e voltar para casa.

A direção do Serviço de Pronto Atendimento (SPA), em nota, informa que o paciente deu entrada na unidade de saúde na última terça-feira (11), às 15h, desacordado, em parada cardiorrespiratória e sem os sinais vitais. Ele foi levado para a sala de reanimação.

A nota informa ainda que os procedimentos de ressuscitação foram realizados por cerca de uma hora, sem sucesso, e o paciente apresentando quadro compatível com diagnóstico de morte encefálica. A equipe médica comunicou à família que o paciente havia falecido e deu início à abertura do protocolo de óbito.

Share This:

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA