Hinode Barueri e Sesc RJ estreiam na Superliga

8

A Superliga 17/18 terá o lançamento na próxima segunda-feira (09.10), em São Paulo (SP) e, entre as 24 equipes, duas disputarão a competição pela primeira vez – Hinode Barueri (SP) e Sesc-RJ. No feminino, o time de Barueri (SP) tem no comando o treinador tricampeão olímpico José Roberto Guimarães e no masculino, a equipe carioca é liderada pelo bicampeão olímpico, Giovane Gávio. As equipes venceram a Superliga B nesta temporada e, assim, garantiram vaga na principal competição de clubes do voleibol brasileiro.

No feminino, o Hinode Barueri manteve a base da equipe que venceu a Superliga B, com as experientes ponteiras Erika e Suelle, a central Fernanda Ísis e a líbero Dani Terra. Entre as contratações, a levantadora Naiane, a ponteira/oposta Edinara e a central Saraelen, todas com passagens pela seleção brasileira.

A ponteira Suelle relembrou a caminhada do Hinode Barueri até a Superliga principal.

“Foi um ano diferente para todos nós – atletas e comissão técnica. Um ano em que colocamos qualquer objetivo individual de lado para defender a mesma causa. Não estar na elite foi muito difícil. Jogamos Taça de Prata, Superliga B e estamos onde queríamos. Conseguimos honrar o projeto de um tricampeão olímpico que buscava há anos o sonho de ter um local para o futuro do voleibol e das crianças. Tudo isso aconteceu sem nenhum tipo de remuneração, patrocínio, e com o Zé Roberto pagando moradia e alimentação. Passamos alguns meses agoniados e apareceu a Hinode”, disse Suelle, que ainda falou do orgulho que tem por todo o grupo.

“Olho para trás e vejo tudo que aconteceu. Isso me dá orgulho e nos fortalece como equipe. Continuamos com nossa causa e lutando por esse projeto. Lembro das dificuldades, agradeço a Deus e ao Zé Roberto por toda essa experiência. Passaria por tudo novamente para estar aqui e não vejo a hora da Superliga começar”, afirmou Suelle.

No masculino, o Sesc RJ volta a movimentar o vôlei carioca, depois de três temporadas sem equipes masculinas no Rio de Janeiro. Para entrar na disputa o Sesc RJ montou um time forte com a presença de quatro jogadores da seleção brasileira – o ponteiro Maurício Borges, o central Maurício Souza, o oposto Renan e o líbero Tiago Brendle – além de ter repatriado o ponteiro João Rafael e o levantador Thiaguinho, que estavam na Itália.

O líbero Tiago Brendle comentou sobre a expectativa para a disputa da Superliga 17/18.

“Nossa equipe está muito motivada para o início da Superliga. O projeto do Sesc RJ é muito sólido e planejado, atuando forte no alto rendimento e na questão social, o que significa contribuir em mais setores da sociedade, além de ter todas as condições e formatos de grande longevidade. Os dirigentes, comissão técnica e jogadores são muito qualificados e trabalhamos forte para valorizarmos esse projeto através de nossas conquistas”, explicou Tiago Brendle.

Outras equipes também entraram na Superliga pelas competições classificatórias. O Corinthians-Guarulhos (SP), em parceira com o  ADC São Bernardo (SP), venceu a extinta Taça Ouro. O Sesi-SP passou pelo mesmo caminho no feminino.

Já nesta temporada, a Taça de Prata será classificatória para a Superliga B que, consequentemente, dará vaga para Superliga.

A Superliga masculina começará no dia 14 de outubro, com seis jogos, entre eles, Sesc-RJ x EMS Taubaté Funvic (SP), às 14h05, com transmissão do SporTV e da RedeTV. No mesmo dia, as duas tvs ainda levarão ao ar ao vivo Corinthians-Guarulhos (SP) x Sada Cruzeiro (MG), às 20h.

A edição feminina terá sua primeira rodada realizada no dia seguinte, com o confronto entre Fluminense (RJ) e BRB/Brasília Vôlei (DF), com transmissão da RedeTV e do SporTV.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here