candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, reconheceu na manhã de ontem  (sábado 13) que faltou controle interno nas estatais para combate à corrupção durante os governos petistas.

Questionado sobre declarações do senador derrotado no Acre Jorge Viana em entrevista à Folha de S.Paulo, segundo quem faltou autocrítica ao partido, Haddad disse que todo dia faz críticas a equívocos cometidos pelo partido e aliados, mas sempre apontando saídas.

O presidenciável citou, como exemplo, a controladoria interna implantada no Ministério de Educação, pasta que comandou por sete anos. Ele disse que pretende estender o modelo às estatais.

“Faltou controle interno das estatais. Os diretores ficaram soltos para promover corrupção e enriquecer”, disse Haddad, frisando ser um enriquecimento individual desses diretores.

Instado a apontar culpados, o candidato disse que cabe à Justiça dar a palavra final, depois da conclusão do processo.

Haddad voltou a desafiar o adversário Jair Bolsonaro para o debate, ainda que com regras estabelecidas pelo cabo reformado. Chamado de fantoche de Lula por Bolsonaro, o petista comentou: “um cara que bate continência para a bandeira americana não tem moral para falar de outra pessoa”, reagiu. Com informações da Folhapress.

loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here