O Coritiba manteve o embalo na disputa do Campeonato Brasileiro. Não foi uma grande atuação, mas o time coxa-branca fez o suficiente para vencer a Chapecoense por 2×0, na tarde deste domingo (6), no Couto Pereira e espantar de vez a má fase que rondava o Alto da Glória. Com a segunda vitória seguida conquistada na competição nacional, o Coxa chegou aos 25 pontos, subiu para a 9ª colocação na classificação e abriu seis para a zona de rebaixamento. O time de Marcelo Oliveira volta à campo no próximo sábado (12), às 16h, fora de casa, diante do lanterna Atlético-GO.

Não foi o primeiro tempo dos sonhos do torcedor do Coritiba, mas o time do técnico Marcelo Oliveira foi cirúrgico. O duelo contra o time misto da Chapecoense foi fraco tecnicamente e sem muitas oportunidades. A primeira chegada do Coxa veio aos 4 minutos, mas o chute de Rildo saiu a esquerda do goleiro Jandrei.

Com o lado esquerdo reforçado com a volta de William Matheus e a escalação de Carleto na criação, o Coritiba insistia por esse setor, mas não tinha sucesso. O primeiro gol do Verdão nasceu de uma bola parada. Carleto cobrou na cabeça de Alecsandro, aos 21 minutos, que desviou para as redes e, com careta e tudo, fez a festa do torcedor alviverde no Couto Pereira.

O gol deu mais tranqüilidade ao Coritiba. A Chape, em desvantagem, precisou sair mais para o jogo, mas não tinha capacidade ofensiva para construir jogadas perigosas. O Coxa, então, aproveitou para ampliar ainda no primeiro tempo. Aos 43, Rildo arrancou no meio de campo e, de fora da área, bateu sem chances para Jandrei e fez o segundo. Os visitantes, ainda na etapa inicial, tentaram descontar, mas o chute de Lucas Marques saiu por pouco.

Com Penilla na vaga de Luiz Antonio, a Chape voltou mais ofensiva para o segundo tempo. O Coritiba, então, demorou para se ajustar defensivamente e o time catarinense quase marcou aos 2 minutos, mas Márcio salvou em cima da linha a cabeçada de Arthur. O Coxa, mesmo tendo mais espaços, conseguia criar suas chances somente em lances de bolas paradas. Aos 7 minutos, Carleto, de longe, cobrou falta com muito perigo à meta de Jandrei.

A Chapecoense seguiu mais presente no ataque e, na boa trama ofensiva, Arthur recebeu livre, bateu cruzado e Wilson fez grande defesa. O técnico Marcelo Oliveira, percebendo os espaços deixados pelos visitantes, colocou em campo Neto Berola na vaga de Carleto. No entanto, o time coxa-branca não tinha organização ofensiva para explorar os contra-ataques.

 Com a marcação do Coritiba bem ajustada, o técnico Vinicius Eutrópio decidiu aumentar a estatura do ataque da Chapecoense. O time catarinense, então, passou a insistir nas bolas aéreas, mas que também passaram a ser bem controladas pelo sistema defensivo coxa-branca. Aos 36, quando a defesa do Verdão falhou, Penilla recebeu livre, mas chutou mal.

Com o jogo controlado, o Coritiba foi ao ataque só na boa. Filigrana entrou na vaga de Rildo e deu um novo ritmo ofensivo ao time alviverde. Com a Chape entregue, o Coxa garantiu a vitória tranquila, voltando a somar três pontos em casa depois de um jejum de dois meses e que lhe dá um fôlego a mais no Brasileirão.

hoje, na Tribuna do Parana

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here