botipromo_728x90

A aguardada disputa entre Ferrari e Mercedes pelo domínio do campeonato de 2019 da Fórmula 1 teve uma prévia nesta sexta-feira, no último dia dos testes coletivos da pré-temporada. No Circuito da Catalunha, nas proximidades de Barcelona, o alemão Sebastian Vettel foi o mais rápido das atividades, mas com uma vantagem mínima, de apenas 0s003 para o britânico Lewis Hamilton.

Na melhor volta do dia, Vettel cravou a marca de 1min16s221, também registrando o melhor tempo dos testes, sendo 0s010 mais rápido do que havia sido o monegasco Charles Leclerc, o seu companheiro de equipe na Ferrari, nas atividades de quinta-feira.

PUBLICIDADE_____________________________________________________________

Isso significa que a Ferrari pode começar a temporada acreditando ter um carro rápido o suficiente para desafiar a Mercedes, mas desde que consiga mantê-lo na pista. Afinal, um problema elétrico forçou Vettel a deixar os testes antes do fim, quando faltavam cerca de 2 horas e 30 minutos para o encerramento das atividades.

O revés aconteceu dois dias depois que Vettel saiu da pista e colidiu com as barreiras de proteção por causas ainda investigadas pela equipe. Já na quinta-feira, Leclerc também deixou a atividade antes do fim por causa de problemas na sua Ferrari.

“Eu não estou satisfeito onde estamos no momento. Eu acho que gostaria de ser mais rápido. Nós gostaríamos de ser mais confiáveis”, disse Mattia Binotto, chefe da equipe italiana. “Então eu acho que ainda há muito a fazer e a temporada não começou ainda.”

Após desempenho discreto nos dias anteriores, a Mercedes exibiu potencial nesta sexta-feira, com o Hamilton sendo o segundo colocado, com 1min16s224. E o finlandês Valtteri Bottas, seu companheiro de equipe, veio logo atrás, em terceiro lugar, com a marca de 1min16s561.

Após Hamilton declarar que a Ferrari tem um carro 0s5 mais rápido, Binotto disse não acreditar nessa avaliação. “Estou feliz em saber que Hamilton acredita que somos mais rápidos. Mas acredito que a Mercedes será muito, muito forte na Austrália. Eu acho que será completamente errado pensar que somos mais rápidos. O fato de que nosso carro está funcionando corretamente é um bom ponto de partida, mas ainda não estamos prontos para Melbourne e eu diria que o caso de um trabalho que prossegue”, disse.

O alemão Nico Hulkenberg, da Renault, foi o quarto colocado, seguido pelo russo Daniil Kvyat, da Toro Rosso, e por Carlos Sainz, da McLaren, em sexto lugar, sendo que todos eles conseguiram cravar voltas em menos de 1min17 no último dia dos testes da pré-temporada, com o espanhol sendo que o piloto mais deu voltas nesta sexta – 134.

O francês Romain Grosjean, da Haas, foi o sétimo colocado, com o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, em oitavo. E o finlandês Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo, e o dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas, completaram a relação dos dez melhores do dia, sendo que ambos foram responsáveis por bandeiras vermelhas nesta sexta-feira no Circuito da Catalunha.

A Red Bull, que também pretende ser uma ameaça à Mercedes, parece ter preocupações maiores. O holandês Max Verstappen limitou-se a 29 voltas nesta sexta devido a problemas com seu câmbio. Isso veio um dia depois que o francês Pierre Gasly perdeu o controle do carro e saiu da pista pela segunda vez durante a pré-temporada. O problema levou Verstappen a fechar o dia em 11º lugar, só à frente do mexicano Sergio Perez, da Racing Point, e do polonês Robert Kubica, da Williams.

Agora, quando os pilotos voltarem à pista, será para os treinos livres do GP da Austrália, que começarão em 15 de março, com a corrida sendo disputada no 15, em Melbourne.

loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here