botipromo_728x90

O objetivo da campanha “Não Engula o Choro”, da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, foi atingido com o aumento das denúncias de violência contra criança e adolescente ao telefone 181. Desde o começo de maio, quando as animações e peças publicitárias foram lançadas, o número absoluto dessas denúncias no Paraná subiu 125%.

A secretária da Família, Fernanda Richa, afirmou que a sensibilização da sociedade para esse problema deve ser permanente. “Como gestores públicos, nosso trabalho é chamar atenção para o problema da violação de direitos e estabelecer políticas públicas que ajudem a combatê-lo, para proteger nossas crianças de situações de risco”, disse a secretária.

PUBLICIDADE

VISIBILIDADE – A campanha enfocou as violências sexual, psicológica e física e a negligência, responsáveis pela maioria das denúncias. O resultado, por exemplo, foi o aumento expressivo das denúncias de violência psicológica, que passou de 2 chamados, em abril, para 16, em maio.

“Outro objetivo da campanha foi exatamente dar visibilidade a outros tipos de violência, além da física e da sexual. Também pretendemos reduzir a subnotificação”, explicou Alann Bento, coordenador da Política da Criança e do Adolescente, da Secretaria da Família.

A violência física é ainda a que mais tem registros. Desde o início do ano, foram, em média, 30 denúncias mensais, mas, em maio, esse número subiu 70 (perto de 130% maior). O abuso sexual, que tinha a mesma média mensal (30), pulou para 60 denúncias.

O total, que em abril foi de 99 denúncias, em maio foi de 198. Na comparação com o ano passado, foram registradas, em abril, 68 denúncias; em maio, 83.

CRIANÇAS – Os vídeos, divulgados por redes sociais, aplicativos de mensagens instantâneas e em cinemas, foram assistidos por milhares de pessoas em todo o país. São coloridos, com música agradável e com linguagem simbólica para representar os perigos. “Diferente de outros trabalhos de sensibilização que fizemos, direcionados aos adultos e à rede de proteção, a estratégia, dessa vez, foi conversar com meninos e meninas”, descreveu Fernanda Richa.

A campanha estimula crianças e adolescentes que sofreram ou sofrem algum tipo de violência a não se calarem e buscarem alguém de confiança para desabafar. Para os adultos, foi produzida comunicação externa nos maiores municípios, em outdoors, mobiliário urbano e busdoor, com as imagens em ônibus do transporte coletivo.

Só nas duas primeiras semanas as animações alcançaram mais de 1,3 milhão de visualizações e foram compartilhadas 21 mil vezes. “Não temos mais como mensurar o alcance da campanha, dada sua rápida disseminação. Temos certeza que tem atingido o público alvo e os resultados com a sensibilização quanto ao problema extrapolam o aumento do número de denúncias”, comentou o coordenador da Política da Criança e do Adolescente.

PARCERIA – A campanha teve a parceria da secretaria de estado da Segurança Pública, que registra e encaminha denúncias de violações de direitos, no Paraná, pelo telefone 181. A ação foi feita em conjunto com o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescentes (Cedca), que determinou o uso do recurso do Fundo para Infância e Adolescência (FIA) para esse fim.

loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here