Terminou a caminhada do na Copa do Brasil. Após sair na frente do placar, o Furacão perdeu o jogo da volta para o Grêmio por 3×2 nesta quinta-feira (27), terminando as quartas-de-final com duas derrotas (com placar agregado de 7×2) e ampliando para nove partidas o seu jejum de vitórias. Mesmo apenas com três jogos no banco de reservas, Fabiano Soares já está sob forte pressão. Foi outra noite de tormentos na Arena da Baixada.

O Atlético, sem maiores pretensões e com um time repleto de jovens, entrou para jogar de “peito aberto”. E partiu para cima do Grêmio, tentando abrir logo o placar. Num cruzamento de Matheus Rossetto, Matheus Anjos quase chegou para marcar. Mas os visitantes tinham uma equipe bem arrumada, e começaram a fechar os espaços do Furacão. E na troca de passes começaram a levar perigo – numa cabeçada de Pedro Rocha, num lançamento de Fernandinho que Weverton foi esperto para defender.

Mas no contra-ataque logo os dois mais criticados jogadores do Atlético fizeram a jogada do primeiro gol. Aos 15 minutos, Douglas Coutinho arrancou em altíssima velocidade e cruzou para Pablo abrir o placar. De uma hora para outra, a esperança passou a dominar a Arena da Baixada. Só que ela durou apenas onze minutos. Aos 26 minutos, Luan tocou para Michel, que abriu para Pedro Rocha. Ele driblou Gustavo Cascardo e chutou rasante, no canto, indefensável para Weverton.

Não havia mais a chance de pênaltis, eram necessários agora sim cinco gols. Foi um balde gigante de água fria – para o time e para a torcida. O Grêmio tomou conta do jogo. O Furacão ficou naturalmente abalado. Os visitantes não pressionavam, preferiam trocar passes, manter a posse de bola. E foi desse jeito que os gaúchos voltaram a campo no segundo tempo.

Ao Atlético restava o valor moral da vitória. E era pela vitória que o time se lançava ao ataque, já com Sidcley em campo no lugar de Nicolas. Pablo teve boa chance, mas seu chute desviou em Kannemann e saiu. Era muito pouco para dizer que os donos da casa pressionavam. A partida corria lentamente rumo ao seu final.

E da forma mais melancólica possível. Aos 24 minutos, a defesa atleticana falhou grosseiramente, Bressan tocou e Everton, que tinha acabado de entrar, virou o jogo. E ainda houve tempo para Pedro Rocha fazer um golaço, driblando Weverton e quase entrando com bola e tudo. O que era esperança no primeiro tempo virou um coro de vaias na Baixada. Felipe Gedoz descontou, mas era tarde. Era o fim da participação rubro-negra na competição.

Ficha técnica

COPA DO BRASIL
Quartas de final – Jogo de volta

ATLÉTICO 2×3 GRÊMIO

Atlético
Weverton; Gustavo Cascardo, Wanderson, Cleberson e Nicolas (Sidcley); Eduardo Henrique (Eduardo da Silva), Matheus Rossetto, Douglas Coutinho (Yago), Matheus Anjos e Felipe Gedoz; Pablo.
Técnico: Fabiano Soares

Grêmio
Marcelo Grohe; Leonardo, Bressan, Kannemann e Marcelo Oliveira (Cortez); Michel, Jaílson (Everton), Ramiro (Kaio), Fernandinho e Pedro Rocha; Luan.
Técnico: Renato Gaúcho

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Gols: Pablo 15 e Pedro Rocha 26 do 1º; Everton 24, Pedro Rocha 34 e Felipe Gedoz 47 do 2º
Cartões amarelos: Nicolas (CAP); Bressan (GRE)
Renda e público: não divulgados

Ontem na Tribuna do Paraná

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here