botipromo_728x90

Assassino confesso do jogador de futebol Daniel Corrêia Freitas, o empresário Edison Brittes Junior, prestou depoimento por mais de seis horas ao delegado Amadeu Trevisan, titular da Delegacia de São José dos Pinhais, nesta quarta-feira. Segundo o advogado de Brittes, Cláudio Dalledone Junior, logo após o depoimento foi decretada a prisão temporária dos três cúmplices de Brittes, que levaram Daniel (ou seu corpo) da casa do empresário para o local onde o corpo foi encontrado (Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, David Willian Vollero Silva e Ygor King).

Segundo Dalledone, o depoimento foi longo porque Brittes não se furtou a responder a nenhum questionamento do delegado e deu detalhes sobre o crime. Ele não detalhou, no entanto, como teria ocorrido o homicídio propriamente dito e nem a emasculação (mutilação do pênis) de Daniel, comprometendo-se a dar novas explicações assim que os exames de necropsia e a perícia de local forem anexadas aos autos. “Ele assume a autoria do homicídio, não atribui a ninguém e se comprometeu a dar os detalhes após virem aos autos os exames de necropsia e os exames de local”, explicou o advogado.

PUBLICIDADE

Dalledone revelou que Brittes manteve, em depoimento, a versão de que agiu transtornado, após flagrar Daniel tentando estuprar sua mulher. “Ele expôs que flagrou esse indivíduo na cama dele, em cima da mulher dele, roçando o pênis na mulher dele e ela pediu socorro. Ele disse que não arrombou a porta, que quem arrombou a porta foi um dos meninos. Quem quebrou o celular do Daniel também não foi ele, foi um dos meninos, que agora se apresentamo como testemunha”, relatou.


Você pode gostar

loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here